6 mitos desconstruídos pelo livro “A Única Coisa”​

por | maio 23, 2019 | Produtividade e Estilo de Vida | 0 Comentários

“A única coisa” de Gary Keller e Jay Papasan é um livro de fácil leitura e escrita prática que vai direto ao ponto, com reflexões importantes sobre como direcionamos nosso tempo e energia. Aplicável não só no âmbito do trabalho, mas também no pessoal e familiar. Um bom convite para se pensar no que realmente importa.

Além de vários conceitos sobre produtividade, performance e foco, é possível identificar 6 falácias que são desmistificadas ao longo do livro:

1. “Tenho muitas coisas importantes a fazer” 

Não. Você deve definir sua prioridade. Sim, “prioridade”, e não “prioridades”. Buscar a única coisa é o que importa. Faça a Única coisa que, sendo feita, alteraria sobremaneira os rumos de sua vida, sua carreira, seu relacionamento, etc.

O foco desse capítulo é ressaltar a importância de priorizar o que realmente faz sentido, deixando de lado coisas que estão preenchendo seu tempo sem gerar o resultado que você espera. Para evidenciar essa questão, é apresentado o famoso princípio de Pareto, que, em geral, afirma que 20% dos esforços trazem 80% dos resultados, justificando a importância de se concentrar nas atividades mais produtivas e ignorar o que é te traz pouco ou nenhum resultado. Esqueça planejamentos desnecessários e listas de tarefas lotadas, pense na única coisa que importa naquele momento ou naquele dia e mantenha o foco. O livro também mostra vários exemplos de como 80% dos nossos resultados de fato advêm de 20% dos nosso tempo de trabalho.

2. “Ser multitarefa é bom”

Ser multitarefa é péssimo. Não existe ninguém que consiga dividir o foco como se fosse um processador de vários núcleos. Você só tem um cérebro. Quando fazemos várias atividades ao mesmo tempo, o que realmente acontece é que sua atenção é desviada o tempo todo enquanto você acredita que a está apenas dividindo.

O tempo perdido com a alternância de tarefas depende de quão complexas elas são, alternar entre assistir TV e dobrar roupas, por exemplo, é rápido e simples.Porém, se você estiver trabalhando em uma planilha e tiver que parar para atender algum chamado, verá que o tempo necessário para voltar ao ponto onde você estava será grande. Se você não foca numa única coisa, perde grande parte de seu poder mental. Para explicar esse conceito, é apresentado de forma sucinta a forma como o cérebro humano lida com a alternância de tarefas, deixando claro que o ser humano não evoluiu nesse sentido. “Multitarefa é apenas a oportunidade de fazer bobagem mais de uma vez”

3. “Sucesso exige disciplina”

A disciplina deve ser usada para criar um hábito. Ela não precisa, e não deve, ser utilizada o tempo todo. É muito comum ouvir que pessoas altamente produtivas são super disciplinadas, mas isso não é verdade, o que essas pessoas conseguiram na verdade foi criar hábitos que, somados, geram o resultado que elas buscam.

Tentar moldar tudo o que você faz com disciplina é muito difícil e completamente chato. Em qualquer discussão sobre produtividade, o sucesso é sempre visto como resultado de elevada disciplina, mas não se engane, saber utilizar seu limitado estoque de disciplina para criar um hábito é o que vai garantir uma rotina produtiva e prazerosa. No geral, trabalhe de forma consistente sobre algo até que isso comece a trabalhar por você. Há ainda uma análise das pesquisas que estudam o tempo necessário para que uma atividade entre no modo automático em nossas vidas, o que nada mais é que a formação do hábito. “Sucesso é um estado interno. Um estado mental consciente e dirigido”.

4. “Força de vontade deve ser sempre utilizada”

Não! Força de vontade é uma força poderosa, mas que se esvai.. A força de vontade é como uma bateria que descarrega conforme a usamos, utilize-a apenas até que o hábito que você gostaria de ter apareça e se consolide, e você vai vê-lo sendo repetido sem esforço algum.

A força de vontade, apesar de limitada, se renova todos os dias, portanto, deve ser utilizada sabiamente para a formação do hábito desejado. Depois, ela não será mais necessária, e o que você achava difícil começa a se mostrar simples e fácil. Use sua força de vontade sabiamente e, essencialmente, economize-a ao longo do dia, utilizando-a somente em momentos especiais. “Torne prioritário fazer o que é mais importante quando a sua força de vontade estiver no máximo”.

5. “Uma vida harmonizada é necessária”

Sua vida nunca vai ser o que você espera que seja. O momento ideal nunca vai aparecer. Se não vai prejudicar ninguém e nem a você mesmo, simplesmente faça e veja o resultado. Não aguarde o momento perfeito, isso não existe. Uma vida nunca deveria ser vivida com arrependimentos.

Quando você quer conquistar um resultado extraordinário, é necessário que foque suas forças na sua prioridade (coisa que realmente precisa ser feita), isso significa deixar várias outras coisas que aparentam ser importantes de lado, o que acaba sendo um desequilíbrio por si só. Procure substituir a busca por “equilíbrio” pela busca por “balanço”, que consiste em alternar períodos de alto foco na sua prioridade com períodos de atenção à outras necessidades como vida pessoal, alimentação, família, amigos, etc.

6. “Pensar grande é ruim”

Ficar onde estamos traz sensação de prudência, mas o oposto também é verdade. Se o grande é tido como mau, pensar pequeno toma conta e o que é grandioso nunca acontece.

Pense grande e tire o crédito disso. O mínimo que você conseguirá é um pouco menos do que pensou ao imaginar-se grande. Se pensar pequeno, terá menos ainda do que queria; abaixo do mínimo que precisava. Pense grande, trabalhe honestamente, de maneira inteligente (trabalhar demais talvez não te leve ao sucesso; trabalhar de maneira inteligente, sim) com foco e sem prejudicar o próximo e a mágica acontecerá.

Conclusão

No geral, o livro ensina de forma prática como cultivar a arte de manter o foco em atividades relevantes para a nossa vida. É essencial que você saiba o que quer para si mesmo e atente-se em defender isso com unhas e dentes, pois sua rotina sempre será carregada de diversas atividades disfarçadas de importantes mas que só roubam seu tempo e não geram o resultado que você deseja para si mesmo. Por isso, o livro repete sistematicamente a pergunta que te guiará sempre que se sentir perdido em meio as suas tarefas: 

Artigo reproduzido com autorização do autor, publicado originalmente em https://www.linkedin.com/pulse/6-mitos-desconstru%C3%ADdos-pelo-livro-%C3%BAnica-coisa-alex-bruno-da-silva/